• 54 - 991543148
  • BuriniRS

Arquivo por autor

Samsung Galaxy X ????

Samsung Galaxy X está  aproximando para entrar no mercado

Na quinta-feira, a Organização Mundial da Propriedade Intelectual aprovou a patente da Samsung para um smartphone dobrado. De acordo com rumores, o fabricante sul-coreano usa esses desenvolvimentos na nova linha do Galaxy X, que pode estrear no próximo ano. Graças à patente, foi possível descobrir qual será o primeiro smartphone flexível Samsung.

O conceito de Galaxy X corresponde inteiramente ao que apareceu nos vazamentos iniciais. A patente descreve um dispositivo de dois com telas que são separadas por uma dobradiça móvel e não podem ser unidas em uma grande. O índice de aspecto da tela será o mesmo que o Infinity Display atual, – 18.5: 9.

Vamos lembrar, a Samsung tenta deixar o mercado do telefone inteligente flexível no mercado há mais de cinco anos, mas enfrenta constantemente problemas de fabricação. Desta vez, a empresa planeja lançar uma novidade incomum até 2019, mas o lançamento pode ser adiado novamente, como aconteceu antes.

Lembre-se, além da Samsung, sobre um dispositivo flexível que pode funcionar Huawei, OPPO, Sony, LG, Vivo e ZTE. 


Vilmar Burini

Samsung Revela Por Que Parou a Distribuicao da Firmware Do Galaxy S8 Android Oreo

Assim como o Galaxy S8 Android 8.0 Oreo lançamento estava aumentando, algo inesperado aconteceu. Nós informamos ontem que a Samsung parou o Galaxy S8 Android Oreo e que os arquivos de firmware já não estão disponíveis para download de seus servidores. Tínhamos chegado à empresa para uma resposta oficial e agora nos forneceu um.

Galaxy S8 Android Oreo lançamento
Naturalmente, os usuários não estavam felizes em descobrir que a Samsung não estava mais lançando a tão aguardada atualização do firmware, apesar de executar um programa beta longo. Era evidente que alguma coisa precisava ser corrigida, e é por isso que a Samsung deu esse grande passo e agora sabemos mais sobre o problema.

Em resposta à nossa consulta, a Samsung nos enviou a seguinte declaração:

*Após um número limitado de casos em que os dispositivos Galaxy S8 e S8 + foram reiniciados inesperadamente com o Android 8.0 Oreo, paralisamos temporariamente a implantação da atualização. Estamos investigando o problema internamente para garantir que o impacto nos dispositivos afetados seja minimizado e o lançamento da atualização possa ser retomado o mais rápido possível*.

Muitos de nossos leitores relataram reinicializações inesperadas depois de atualizar seus celulares para o Oreo e a Samsung confirmou que é por isso que parou o lançamento Galaxy S8 Android Oreo. Nós mencionamos no nosso relatório ontem que a Samsung está trabalhando em uma nova versão da atualização que deveria estar em breve.

Aqueles que já atualizaram seus dispositivos para Android 8.0 Oreo realmente não precisa fazer nada. Eles podem continuar usando seus telefones como já foram desde que a atualização começou a se desenrolar. Aqueles que haviam baixado o firmware em seus aparelhos, mas não o tinham instalado, agora terão que esperar porque esses arquivos serão automaticamente excluídos de seus dispositivos.

Ninguém esperaria uma versão Galaxy S8 Android Oreo perdida da Samsung após o que se sentia como uma fase de teste beta completa. Não é de admirar que alguns leitores que participem da nossa pesquisa sobre o que pensam deste fiasco inteiro são bastante cruzados com a Samsung.

A empresa ainda não disse precisamente quando podemos esperar que o lançamento do Oreo para o Galaxy S8 e o Galaxy S8 + retomem. Atualizaremos uma vez que recebermos mais informações.

Vilmar Burini

Exclusivo: Samsung Pára De Entregar Android 8.0 Para S8, Nova Versão Esta Sendo Desenvolvida

A Samsung começou a lançar a tão aguardada atualização do Android 8.0 Oreo para o Galaxy S8 e o Galaxy S8 + na semana passada. Como prometido, a atualização foi lançada pela primeira vez para membros do programa beta antes de ser lançada para dispositivos não beta no início desta semana . A atualização só havia sido enviada em um punhado de mercados, mas em uma mudança de eventos bastante inesperada, a Samsung parou a versão de atualização Oreo Galaxy S8 Android 8.0.

Galaxy S8 Android 8.0 release parou
A Samsung iniciou o Galaxy S8 Android 8.0 Oreo lançado há alguns dias para dispositivos não beta em mercados como Turquia, Noruega, Emirados Árabes Unidos, Índia, Bélgica, Alemanha, França, Polônia e outros. A empresa disse que iria lançar a atualização na Holanda na próxima semana .

No entanto, chegou a nossa atenção no início de hoje que a Samsung interrompeu o lançamento. Nós conduzimos nossa própria pesquisa agora pode confirmar de forma independente que a Samsung puxou Oreo para o Galaxy S8 e o Galaxy S8 +.

Os arquivos de firmware G950 / G955-FXXU1CRAP Android 8.0 para esses aparelhos não estão mais disponíveis para download nos servidores da Samsung. Posteriormente removemos os arquivos de firmware Oreo do nosso banco de dados também.

Haverá pouco impacto para aqueles que já atualizaram seus dispositivos para Android 8.0 Oreo. Eles podem continuar a usar Oreo em seus aparelhos normalmente, pois isso não os afeta.

Recebemos uma palavra de uma fonte que a Samsung está trabalhando em uma nova versão de firmware para o lançamento do Galaxy S8 Android 8.0 para que ele possa sair em breve, espero que.

A razão de parar o lançamento não é clara neste momento.

Vilmar Burini

ANDROID É LINUX? VEJA A RELAÇÃO DO SO DA GOOGLE COM O LINUX!!

O Android existe de uma forma semelhante à que o conhecemos atualmente há 10 anos. O seu debute, em 2008, trouxe uma plataforma baseada no Linux que poucos anos depois se tornaria o sistema operacional (SO) mais usado em todo o planeta, superando inclusive o Windows. Mas o que significa dizer que o Android é um SO “baseado no Linux”? O Android é Linux?

Essa pergunta não tem uma resposta fácil e ela inclusive pode ser contraditória dependendo de quem responde. É possível até mesmo dizer que o Android é e não é — ao mesmo tempo — uma versão de Linux. Isso pode parecer complicado, mas tudo será explicado de forma clara nas próximas linhas.

Primeiramente, vale ressaltar logo de cara que o Android utiliza, sim, o kernel Linux, ele é construído a partir disso. Kernel nada mais é do que a interface que faz a comunicação entre software e hardware em um computador, gerenciando, por exemplo, o uso de memória RAM e processamento.

 

Android é Linux?

É possível até mesmo conferir a versão do kernel Linux instalada em seu dispositivo Android indo às configurações do sistema. Levando isso em conta, fica fácil dizer que o Android é Linux, correto? Tem quem defenda essa posição, mas ela não é definitiva. E isso porque “ser Linux” demanda muito mais do que apenas utilizar o kernel Linux.

O que é um sistema Linux?
Chama-se de “Linux” genericamente qualquer sistema operacional construído em cima do kernel Linux. Como ele é open source e pode ser usado gratuitamente, qualquer um pode construir o seu próprio sistema adicionando interface de usuário, biblioteca de arquivos e programas. Muitos defendem o uso da expressão GNU/Linux para os sistemas operacionais, visto que ela contempla tanto o kernel (Linux) quanto o sistema (GNU).

Graças a essas características, instituições, empresas e governos desenvolvem seus próprios sistemas, criando uma miríade de distribuições entre as quais estão Debian, Fedora, Ubuntu, OpenSUSE e RedHat. Tomando isso como base, podemos dizer, então, que o Android é um tipo de distribuição Linux, afinal ele tem como base exatamente o kernel.

Mas essa informação está incompleta. E a e parte da divisão que torna o Android um sistema baseado no Linux, mas não um Linux propriamente dito, é justamente as modificações feitas no kernel do sistema, a ausência de suporte para a biblioteca de programas GNU e também o modelo de gestão e desenvolvimento mantido pela Google.

 

Ubuntu é a distribuição de Linux mais popular da atualidade.

Apesar de trazer o kernel Linux em seu coração, o Android conta com modificações específicas e exclusivas feitas pela Google. O site Embbed Linux Wiki, por exemplo, lista algumas especificidades do kernel que estão presentes apenas no sistema mobile e “não são parte do kernel padrão e estão disponíveis apenas no kernel do Android no Android Open Source Project.”

Ou seja, o kernel do Android não é o padrão utilizado por outras distribuições de Linux. Contudo, visto que o kernel é distribuído sob a GNU General Public License, ele pode ser modificado, e muitas organizações responsáveis por distribuições Linux fazem isso. O próprio eLinux.org informa que as modificações feitas no Android não são tão extremas a ponto de descaracterizar o sistema. Então, esse é mais um ponto de dúvida e que não esclarece se o Android é ou não Linux.

A controvérsia continua
Durante a Google I/O de 2010, o engenheiro da Google Patrick Brady foi bem claro ao afirmar que “o Android não é Linux”, apesar de ser desenvolvido sobre o núcleo Linux. Ele cita como justificativa para os fatos de o Android não ter um sistema nativo de janelas, não ter suporte à biblioteca GNU gblic (o que impede, por exemplo, que programas de Linux rodem no Android) e ainda não contar com “o pacote completo de utilidades padrão Linux”.

O núcleo Linux foi somado ao sistema GNU em 1992 para formar o que ficou conhecido como GNU/Linux (a junção entre kernel e sistema, como explicado anteriormente). Essa combinação é justamente o sistema operacional em si, então, como o Android não tem suporte para softwares GNU, muita gente não o vê como uma distribuição Linux convencional.

 

Android é o sistema operacional mais usado no mundo.

Outro ponto importante a ser levado em conta é o fato de o Android ser um produto desenvolvido de forma bastante restritiva e controlada pela Google. Ele é oferecido gratuitamente a outras empresas por meio do Android Open Source Project (AOSP), mas a gigante de Mountain View é bem clara ao afirmar que ela “detém a responsabilidade pela direção estratégica do Android como plataforma e como produto”.

Ou seja, o sistema todo é desenvolvido de maneira privada pela Google, o que dá a ele algumas amarras proprietárias, digamos assim. Essa característica é importante e acaba por afastar filosoficamente o sistema mobile daquilo que se concebe como uma típica distribuição de Linux.

Baseado no Linux
Se o critério básico for o uso do kernel para que um sistema seja considerado Linux, o Android é, de fato, sistema Linux. Contudo, se a base para a análise levar em conta também outros critérios, como suporte a softwares GNU e a presença de um sistema de janelas, é possível afirmar que o sistema mobile da Google não é uma distro.

Há quem diga ainda que o Android é um fork do Linux, ou seja, um projeto que se separou e hoje trilha um caminho independente, evoluindo e sendo desenvolvido em um ritmo diferente do Linux puro. Essa posição é defendida, inclusive, por Linus Torvalds, que acredita que Android e Linux voltarão a caminhar juntos no futuro.

É difícil estabelecer um consenso, mas é evidente que o sistema operacional mais usado no mundo hoje utilizou e utiliza a tecnologia criada por Torvalds e oferecida ao mundo gratuitamente. Assim, provavelmente, o mais apropriado seja chamar o Android de um sistema baseado no Linux e não de uma distribuição de Linux ou um sistema GNU/Linux.

 

 

Vilmar Burini

Google está trazendo a AMP para o Gmail para tornar os e-mails mais interativos

O Google está trazendo a AMP para o Gmail para tornar os e-mails mais interativos

O Google anunciou que está trazendo sua tecnologia Accelerated Mobile Pages (AMP) para o Gmail, a fim de tornar os e-mails muito mais envolventes e interativos.

A tecnologia, que foi projetada originalmente para acelerar os sites, eliminando a desordem desnecessária, impulsionará o novo aplicativo Gmail Developer Preview.

“Hoje, estamos trazendo o poder da AMP ao e-mail através do Gmail Developer Preview da AMP para Email – uma nova maneira para os desenvolvedores tornar os e-mails mais interativos e atraentes”, disse o gerente de produtos do Gmail, Aakash Sahney. “Com o AMP para Email, é fácil para informações em mensagens de e-mail ser dinâmicas, atualizadas e acionáveis”.

A nova solução praticamente possibilitará ações simples (como reservar um compromisso de calendário ou RSVP-um evento) diretamente no layout do e-mail – sem necessidade de clicar em um link ou visitar outro site.

Veja:

Depois de introduzir a AMP em 2015, o Big G continuou a aprimorar a tecnologia, eventualmente integrando-a em seus formatos de anúncios para torná-los muito mais leves e rápidos. Agora parece que a empresa quer fazer o mesmo com e-mails.

A idéia de assar a AMP diretamente no Gmail vem apenas algumas horas depois que o Google revelou seu novo formato de história da AMP – que visa capacitar os criadores para construir experiências intensivas de imagem, vídeo e animação para dispositivos móveis – no AMP Conf em Amsterdã, no início de hoje.

 

Vilmar Burini

Android x86 Nougat 7.1 no seu notebook ou PC

Que o Android é o sistema operacional móvel mais utilizado do mundo já não é nenhum segredo. O robozinho mais querido desta geração atualmente já alimenta celulares, TVs, dispositivos vestíveis, carros e até mesmo eletrodomésticos.

A plataforma, no entanto, foi conceituada e projetada com base em dispositivos ARM. Apesar de que já existam alguns computadores Intel ou AMD com suporte ao Android, convenhamos que desktops trabalhando com o software do Google ainda não apresentam números expressivos por conta da compatibilidade.

 

Felizmente, existem projetos como o Android x86 que tentam ajudar da melhor forma possível a disseminar a essência do Android nos notebooks e PCs domésticos.

A plataforma já é conhecida nesse ecossistema há algum tempo, e agora chega à sua versão 7.1 com a promessa de levar os recursos do Nougat ao seu computador.

O Android x86 é muito parecido com qualquer outra ROM do Android de terceiros, mas com uma diferença fundamental. Seu objetivo é fornecer uma versão do Android que você pode instalar em qualquer desktop ou laptop normal, mesmo com a última geração de tablets 2 em 1 com arquitetura x86.

Como um projeto comunitário, obviamente ainda está atrasado nas últimas compilações do Android. Mas considerando que o Google não oferece facilidade de instalação no uso do Android em PCs, os usuários interessados realmente não têm muita escolha.

O Android Nougat pode não ser a versão mais recente, mas certamente não é obsoleto. No mais, uma das características substanciais que você provavelmente esperaria de um sistema operacional rodando em seu desktop ainda está presente: suporte a múltiplas janelas.

 

Tal como acontece com qualquer ROM do Android, instalar o Android x86 requer algum cuidado, especialmente para sobrepor o Windows.

No entanto, a plataforma funciona muito bem, com as principais funcionalidades que só o Android Nougat trouxe. Caso tenha interesse de conferir o Android x86 em sua máquina, basta clicar no link a seguir que te levará até a página oficial do projeto.

Ele é baseado no AOSP e não oferece quaisquer riscos ao seu desktop.

 

  • Android x86 7.1 | Nougat — download

 

Vilmar Burini